E o primeiro passo é… voar, voar, subir, subir!

Qual a primeira etapa em um projeto de intercâmbio cultural? Antes de começar uma viagem, é preciso definir o destino, obviamente. É aquela velha frase do gato da Alice (e não de Shakespeare, ok? ): “se você não sabe aonde está indo, qualquer lugar serve”. E não é que é verdade? Bem, eu não queria qualquer lugar! Por isso, minha busca começou do seguinte modo:

Fui atrás de agências que ofereciam cursos na Inglaterra. Várias me apresentaram preços bem altos, cursos de 3 mil libras, um verdadeiro roubo. Percebi que era hora de conversar com amigos intercambistas e saber de suas experiências. Afinal, o que seria melhor? Fazer todo o processo sozinha ou pedir ajuda aos universitários? Foi aí que cheguei na Roda Mundo, uma agência de intercâmbio de São Paulo.

Após solicitar orçamento para cursos de inglês na Inglaterra, recebi várias opções referentes a algumas cidades naquele país: Londres, Brigthon, Bourmemouth, Birmingham e, finalmente, Norwich!

Eu sempre quis Londres, desde sempre e para sempre. Mas, alguns fatores me fizeram ponderar esse desejo: morar numa das cidades mais caras do mundo, numa das capitais mundiais? Quais seriam os benefícios? Claro, estar em contato com um universo multicultural, ter acesso a “N” programas artísticos-etílicos, poder fazer cursos diversos, enfim: estar num dos centros da cultura ocidental. Por outro lado: o custo de viver tudo isso.

A metáfora é: morar em SP é muito legal se você está na Vila Mariana, Madalena, na Avenida Paulista. Mas, se você morar na Penha ou Vila Brasillândia, a coisa fica mais difícil. Morar em Londres nas Zonas 1 e 2 é fantástico! Mas, qual o custo disso? Eu sei qual é. E não é barato. Por isso, resolvi buscar um plano B! Foi quando conheci Norwich. Abaixo, algumas fotos da cidade:

Norwich é conhecida como a capital do leste inglês. Possui cerca de 130 mil habitantes e, embora o seu curso seja duas vezes mais caro que o de Londres, a hospedagem é mais barata, poderei ir à pé à minha escola e a muitos outros pontos turísticos. Embora seja uma cidade moderna, possui diversas construções da época medieval. Foi habitada pelos celtas, invadida pelos romanos, vikings e ocupada pelos normandos. Quase sinônimo de cosmopolita! No século XI, foi a segunda cidade mais importante do reino, atrás apenas de Londres. É a que mais possui catedrais per capita em toda a Europa, contabilizando 31 igrejas, da católica à anglicana, e o seu principal castelo é um dos mais famosos da Inglaterra. Para alguém que sonha em ser uma “castelã medieval” nada soaria tão fascinante.

Além disso, a pequena cidade fica bem próxima a Cambridge, onde fica a Universidade de Cambridge, local onde foi lecionada a primeira disciplina em bem-estar animal num curso de veterinária. Em Oxford, a cerca de três horas de Norwich, foi montada a primeira fazenda-modelo em bem-estar animal. Este, aliás, é o tema do meu TCC (Trabalho de Conclusão de Curso). Obviamente, farei uma visita singela a estas instituições e a outras do Reino Unido. Sonhar não me custam muitas libras.

Bom, já sei para onde estou indo. E agora, como viabilizar tudo isso? No próximo post, informações de como se inscrever num curso e organizar a documentação necessária para estudar ao Reino Unido.

Um pensamento sobre “E o primeiro passo é… voar, voar, subir, subir!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s