A gente se acostuma

Já estou aqui há três meses. Olha só! Três meses! É um pedacinho de tempo que tem valores distintos: ora parece ser uma eternidade; ora, que nem vi os dias passar, envolvida numa espécie de transe emocional, cultural, lingüístico.

Pequenas coisas mostram que a gente superou aquela fase de se abismar com cada rua e beco mimosos. Norwich vai se tornado uma cidade conhecida, onde encontro atalhos, elenco lugares, pubs favoritos. Não ando mais olhando para cima. Agora, já sei por onde caminho.

Então, percebemos que estamos nos acostumando com a vida numa cidade inglesa. E a gente se dá conta disso quando:

  1. Não acha tanta surpresa assim encontrar uma casa de 200 anos de idade. Afinal, tudo aqui tem pelo menos 200 anos de idade.
  2. Não saca a máquina fotográfica a cada vez que vê uma portinha, uma igrejinha, uma abobodazinha…
  3. Sente-se super confortável com uma camiseta de manguinhas enquanto a alemã do seu lado tirita de frio.
  4. Tem pavor do sotaque americano e passa a achá-lo a coisa mais brega do mundo.
  5. Não vê problema algum em comer sanduíche na hora do almoço e percebe que arroz soltinho não é indispensável.
  6. Deixa de se espantar em ver produtos de marcas como Dior, Ralph Lauren, Bulgari, Carolina Herrera, em qualquer lojinha do centro. A passar todo dia por uma das lojas M.A.C sem desejar tudo o que está lá dentro.
  7. Deixa de se espantar em ver Moet & Chandon por 30 libras no supermercado.
  8. Desiste de gritar a cada vez que uma abelha ou inseto que pareça ter um ferrão cruza o seu caminho, pois entende que eles são onipresentes nessa terra.
  9. Enjoa de fish & chip.
  10. Não olha mais para todas as placas que atestam a idade dos prédios públicos.
  11. Se convence de que todos os jardins são fofos.
  12. Não se surpreende em estar num pub que tem a idade do descobrimento do Brasil.
  13. Fica exultante com qualquer solzinho que bate na janela.
  14. Já sabe de cor os corredores do supermercado.
  15. Já sabe o lado certo de olhar antes de cruzar a rua.

Como diz Marina Colasanti (e não Martha Medeiros), a gente se acostuma. Mas não devia.

Abaixo, Pato Fu canta Vida Diet. Dica de meu amigo Heitor Botan. Nada mais apropriado para ilustrar esse post:🙂

3 pensamentos sobre “A gente se acostuma

  1. Que história é essa de se acostumar hein Dona Keila???
    Não tem nada que se acostumar não gatinha…pq nós nunca nos acostumariamos sem vc!
    Sempre saudades!
    Beijokinhas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s