Estocolmo, a capital da Escandinávia

– Vamos para Estocolmo?

– Vamos!

Foi assim que decidi conhecer a capital da Suécia. Ayano e Asaka, com quem divido casa, haviam comprado as passagens dois dias antes, por 16 libras. As minhas saíram um pouco mais caro: 30 libras, mas ainda assim um ótimo negócio.

Na quarta-feira, 8, embarcamos no aeroporto de Stansted, em Londres, para um mistério: o que é Estocolmo?

A capital sueca é a cidade onde Walter Disney levou seus comparsas para criarem as animações da Disney – suponho eu. As construções em estilo renascentista, a cidade rodeada por palácios: a Suécia tem um quê de mágico. E é muito fotogênica sob um sol de fim de verão.

Viagem

Ir para Estocolmo, ainda que por acidente, foi uma ótima escolha. A cidade transpira cultura, é possível passar uma semana visitando lugares diferentes e aprendendo mais sobre a Escandinávia.

Nosso tempo era curto. A quarta-feira foi dedicada apenas à viagem, que durou cerca de 10 horas de Norwich até o hotel. A sessão “turismo ensandecido” começaria apenas na quinta-feira.

Start!

No dia seguinte, hora de desbravar a cidade! Para tornar tudo mais fácil e barato, optamos por adquirir o Stockholm Card 48h, que dá entrada gratuita a mais de 80 atrações, como museus, galerias e palácios, além de incluir transporte público e passeios turísticos de boat. Altamente recomendável!

Nosso passeio daquele dia foi fantástico! Primeira parada, Vasa Museu.

O navio de 382 anos

Deixado o museu, bóra pegar o boat para a cidade velha Gamla Stan e voltar para o hotel. A sexta-feira exigia organização prévia, visto que o tempo é curto e Estocolmo é uma cidade com muito para se ver.

O segundo dia de viagem começava cedo: seria uma maratona por dois museus, uma torre e um palácio. O primeiro deles, a Câmara Municipal de Estocolmo, é onde acontece a premiação anual do Prêmio Nobel.

Naquele dia, ainda conhecemos a Torre do Stadshuset, o Palácio Real e o Museu de Arte Moderna.

Quero ser prêmio nobel.

Aposentos reais de verdade

De Dalí a Picasso em Estocolmo

No sábado, último dia de viagem, decidi que iria visitar o Palácio onde a família real vive atualmente. Para chegar até lá, um dos guias de bolso recomendava uma viagem de barco pelo lago Malären. Não estava muito convicta. O dia nublado roubava um pouco o encanto. No fim, optei pela recomendação. Uma vez em Estocolmo, precisa-se navegar pelo lago Malären – com sol ou não.

A casa da família real

Coisas incríveis de Estocolmo

A capital sueca é, definitivamente, um dos lugares mais bonitos que eu já conheci. Há muito o que ver e fazer. A cidade transpira cultura, é um banho de informação que a gente recebe. Eu amei conhecer Estocolmo e aprender tanto sobre tanta coisa.

O que mais me chamou a atenção foi a arquitetura, suas influências românticas e renascentistas, mas também um estilo nacional.

A arquitetura presente na cidade é quase atual: devido ao incêndio que destruiu grande parte da capital em 1697, tudo foi reconstruído. E porque esse era o período de ouro daquele país, os novos prédios traziam a imponência que um gigante do norte tinha naqueles tempos. Em cada construção, a exaltação da soberania sueca e do seu poderio econômico.

O metrô de Estocolmo é de cair o queixo – de sul-americanos e de japoneses! Minhas companheiras de viagem ficaram tão surpreendidas quanto eu.

Além de possuir quatro níveis (metrô debaixo de metrô debaixo de metrô…), cada estação tem a sua própria identidade visual. É uma loucura! Não bastasse os suecos terem feito um metrô altamente eficiente, com uma malha que cobre toda a cidade, ainda se preocuparam em tornar o subsolo de Estocolmo uma exposição de arte. A cada estação, uma surpresa.

Estação nível 4 do Metrô.

Do último nível do metrô ao mundo real.

 

Coisas malas de Estocolmo

Infelizmente, tenho que dizer que simpatia não é o forte dos suecos. Acredito que a cidade atingiu um nível de organização tão grande que qualquer pedido de informação soa redundante, descenessário, irritante. As pessoas simplesmente ficam passadas se você não entende o sistema.

Há uma espécie de obrigatoriedade em ser moderno em Estocolmo. Uma amiga havia me dito que os países nórdicos eram “muito primeiro mundo”. Não entendi de imediato. Lembro que no primeiro dia procurávamos desesperadas pelo centro de informações.

Seguímos aquele “i” até a estação central e levamos um bom tempo para entender que o Centro de Informação a que o tal “i” se referia eram três computadores conectados ao site oficial da cidade… Essa coisa de ser moderno em cada detalhe é muito chato.

A terceira coisa mala de Estocolmo é, claro, o preço. Já estavam pagos o hotel e todas as atrações a serem vistas na cidade, bem como o transporte público – com o cartão Estocolmo, lembram? Fui gastando em libras, não em reais mas, a capital sueca é três vezes mais cara que Norwich! Passamos três dias comendo Mcdonald’s, rs. Que mesmo assim era mais caro que o daqui!

De volta pra casa

Às 18h do sábado demos início ao pau-de-arara. Ônibus para o aeroporto, espera avião, toma avião, chega na Inglaterra, enfrenta aquela fila básica na imigração, espera ônibus para Norwich e chegam, belas, as três, às 5h da matina nessa cidade maravilhosa.

Quando desci do avião, senti uma felicidade imensa ao ouvir de novo alguém falando “obrigado”, “bem vindo”, sorrindo… ah, como o povo inglês é caloroso, como são educados, como é baixo o custo de vida na Inglaterra!

Estocolmo me ensinou, por ora, que tudo é relativo nessa vida.😉

Para ver as fotos da viagem, clique aqui.

Informações sobre a cidade

Para quem tem interesse em conhecer Estocolmo, algumas informações:

Fuso horário: +5h (em relação ao horário de Brasília)
Moeda: coroa sueca. 1 cora = R$ 0,25 (não se iludam. Uma água custa 30 coroas, uma cerveja, 50…)
Transporte público: uma das sete maravilhas do mundo. Metrô, ônibus e trens altamente eficientes.
Stockholm Card: Cartão que dá acesso a mais de 80 museus, galerias, além de transporte público gratuito.
Hospedagem: Ficamos no Reimersholme Hotel, 30 euros por noite. Banheiros coletivos, mas altamente recomendável!  

5 pensamentos sobre “Estocolmo, a capital da Escandinávia

  1. Que linda idéia de colocar os detalhes da sua viagem em links! Prático e de fácil navegação. Penso que a Suécia nunca recebeu tão distintas visitas desde 1958, quando aí ganhamos a primeira Copa do Mundo. Bom, tem aquela festinha anual de tal um premiozinho, mas tudo bem… Espero as fotos!

    • nossa, enfim termieni de ler sobre essa cidade linda! fiquei morrendo de vontade de ver, ainda mais que agora acabei de ler um livro de suspense que se passa lá, hehe
      e aquele navio realmente me impressionou, viu! que demais!

  2. Keila, Ficou bem legal este seu post. Como pretendo conhecer a Escandinávia em breve, estas informações irão me ajudar muito. Gostei na forma como você relatou esta sua viagem dando uma boa idéia sobre como é a cidade e oque tem de mais interessante para se ver. Parabéns e Obrigado

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s