Entrevistas? Só depois do discurso da rainha

Contato um setor do governo inglês pedindo uma entrevista. Eles retornam a ligação:

– “Sim, claro, podemos te ajudar. Mas precisamos esperar”, eles informam.

– “Esperar o que?”

– “O discurso da rainha”.

Pois é. Depois das eleições, a rainha vai na Casa dos Lordes e dá às boas vindas ao novo Parlamento. E só então os órgãos públicos podem fazer anúncios, o que inclui dar entrevistas.

A tal boas vindas acontece assim: a rainha sai lá de Buckingham Palace numa procissão até Westminster, onde fica a sede do Parlamento. Há todo um código de vestimenta: ela usa a coroa do estado imperial e o robe do Estado.

Ela faz um trajeto rígido, passando por salas específicas. Quando chega na câmara da Casa dos Lordes, o oficial da Casa vai então chamar os Comuns – ou seja, os políticos eleitos pelo povo -mas os Comuns fecham a porta na cara do oficial!

Soa dramático, mas é tudo coreografia. A porta na cara é reminiscente da Guerra Civil inglesa, no século XVII, e simboliza a independência do Parlamento, eleito pelo povo, da monarquia.

O fato é que eu precisarei esperar até o fim de maio, quando a rainha terá feito seu discurso – que, na verdade, é escrito pelo governo -, para ter a entrevista que preciso do tal órgão do governo inglês.

Eu ficaria chocada, não fosse o fato de, na minha última prova de jornalismo, haver uma seção inteira sobre que perguntas eu faria para a duquesa Kate… numa entrevista sobre a princesa recém-nascida.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s