Museus, igrejas e um pulo à praia

Bem, estou na minha terceira semana aqui (olha, terceira semana!) e tenho algumas coisas para compartilhar.

A primeira semana foi dedicada a assuntos burocráticos, não muito excitantes, como comprar as coisas que esqueci (xampu, toalha), achar um adaptador para os meus plugs (as tomadas daqui são diferentes e eu não conseguia nem recarregar meu celular}), aprender a andar na cidade sem ficar perdida, a chegar na escola e a voltar para casa, o que comer, onde comer e tal.

Na parte turística, visitei uma igreja linda, Saint Peter Mancroft, construída em 1456, e fiquei sócia da biblioteca municipal, que é simplesmente fantástica – tem internet, impressora, copiadora e, alem disso, é uma biblioteca gigante, de três andares!

No primeiro final de semana, resolvi despender algumas libras e visitei o castelo de Norwich, que hoje é um Museu de Historia Natural e de Artes – lindo! – e… fiz uma viagem à praia!!! Tenho que grifar que é absurda a praia daqui.

Litoral do leste inglês

Foi assim: minha host mother, Sheil, me convidou para visitar, no norte de Norfolk, uma cidade chamada Wells-next-the-sea (faz sentido, ahn?). Adianto que foi um passeio muito gostoso! Minha host é muito paciente e adora ver quando eu entendo algo que ela esteja tentando explicar. No caminho, fez questão de que passássemos em várias vilazinhas minúsculas, como Cley, Blakney e Grandford, e me mostrou todas as lojas de cerâmica em cada uma (concluí que ela gosta muito de cerâmica).

Em Blakeney, paramos um instante para apreciar a abertura de uma exposição de arte, basicamente com o tema “pássaros” (nessa região, eles tem uma fixação por aves). Como era a abertura, os anfitriões serviram vinho e algumas comidinhas. Resolvi comprar alguns cartões-postais, bem baratinhos (50p ou centavos de libra). Olhei para a parede e vi um lindo cartão, que era bem mais caro (2 libras). Fiquei no compra-não-compra, mas pensei que minha mãe amaria aquele cartão. Resolvi levar e, quando pus no balcão, a anfitriã me disse gentilmente: “Leve de presente”. Óhnnnn!!!! Ganhei meu dia!

Nessa via sacra de vilazinha em vilazinha, chegamos finalmente em Wells-next-the-sea! Fomos à praia e fiquei muito, mas muito surpresa com a “maré baixa” daqui. Enquanto a nossa recua alguns metros, a maré daqui recua cerca de 20km! A praia que eu vi, portanto, era só um mar de areia, com um vento cortante e um frio de avermelhar cada pedacinho de pele exposto. Mas, até isso foi divertido! Voltamos para a casa lá pelas 21h e terminamos a noite comendo um delicioso kebab (espécie de comida turca que conheci domingo passado).

Minha segunda semana foi mais calma. Começou com uma segunda-feira de feriado – dia que não botei a cara na rua e que dediquei ao descanso e ao sossego. Na terça, fui recepcionar a rainha e, nos dias subsequentes, restringi minha rotina a ir a escola e à biblioteca, acessar a internet e nada mais. O frio aqui estava tão forte que era impossível ficar na rua!

Nesse fim-de-semana, porém, tirei o pé-da-lama, e botei a cara nos pubs todos os dias!

Explico: é que começou um Festival de Artes e Música aqui! Mas, isso merece um post exclusivo.

Você tem fome de quê?

Todo mundo tem sede de fazer algo diferente e, talvez, as viagens simbolizem o saciar dessa vontade – quem viaja, sai do terreno seguro que é a própria casa para aventurar-se no desconhecido.

Eu sou uma dessas que está indo desembocar num novo mundo. Daqui a exato um mês, embarco para a #terradarainha (senhora Inglaterra), onde fico por seis meses. O objetivo é óbvio: adquirir fluência no inglês. O que não são tão óbvios, e a gente não pode sair explicando por aí, são os desejos infantis, tais como visitar a terra de Agatha Christie, tomar chá com senhoras a la Miss Marple ou, quem sabe, um xerez com Hercule Poirot (de origem belga, e não francesa, por favor! rs).

Além disso, visitar palacetes da era vitoriana, castelos medievais e estar onde, há séculos, a história vem sendo construída, são outras vontades nutridas há muito tempo. E, penso, são esses os desejos mais gostosos de serem amainados.

Nestas quatro semanas que me separam de minha futura cidade, colocarei aqui quatro posts, referentes a quatro etapas que cumpri para iniciar minha viagem ao Reino Unido. Quem sabe possa ajudar aqueles interessados em iniciar um intercâmbio.