Primeira semana de aula e todos os medos do mundo

Na última segunda-feira, 22, foi o meu primeiro dia de aula. Os medos eram variados: será que falarei bobagem, será que as pessoas são legais, será que farei amigos, será que será difícil, será que irei para a Grifinória?! Eram muitos sentimentos misturados.

Apesar da ansiedade inicial, a primeira semana foi passando de maneira lenta e intensa, de forma que, quando chegou o último dia, a sensação era de estar boiando em um mar de deadlines. Sim, me toquei, vai ser difícil para caramba. E, sim, vou aprender para caramba também.

As aulas giraram em torno de testes. Analisamos o discurso de diferentes jornais, produzimos reportagens sob a pressão do cronômetro e tivemos a visita de um figurão da indústria, Maurice Chittenden, editor noturno do The Sunday Times. Também houve encontro com ex-alunos, muito vinho branco para quebrar o gelo e até um “assignment”, algo que chocou todo mundo.

Assignment

As semanas introdutórias são conhecidas por sua mansidão. É quando os estudantes conhecem as instalações da universidade, tomam pé da grade curricular e socializam. Nada de trabalhos! Mas meu curso, ficou evidente, será denso.

O primeiro desafio da semana foi encontrar uma organização que fizesse um trabalho relevante, entrevista-la e produzir uma reportagem. Eu entrevistei a Al Madad Foundation, uma fundação que trabalha com crianças refugiadas, principalmente na Síria e no Líbano, promovendo a educação e a alfabetização.

A diretora da organização me recebeu na tarde da última quarta-feira (24) na sede da instituição, que fica na região de Westminster. Descendentes de libaneses, ela cresceu e foi educada na Inglaterra e, além de dirigir a Al Madad, é uma artista que utiliza conflitos políticos com temática. Foi muito interessante ver como uma organização que sabe que não irá mudar o mundo racionaliza ações de ajuda humanitária.

Westminster, uma região muito bonita

Westminster, uma região muito bonita

No caminho para a entrevista, uma passadinha num pequeno parque

No caminho para a entrevista, uma passadinha num pequeno parque

Na quinta (24), data da entrega da matéria, redigi o conteúdo e me senti aliviada por dar conta do primeiro “assignment”, como eles chamam por aqui.

Assim, passou a primeira semana e nada de trágico aconteceu. Só coisas boas.

A partir desta segunda (29), o curso começa para valer. O foco inicial é em prática jornalística. Faremos muitos workshops em produção de jornal e precisaremos redigir algumas dezenas de reportagens durante este primeiro módulo, que vai até dezembro. Somado a isso, teremos aulas de jornalismo de dados e de jornalismo digital. Em janeiro, o foco é em inovação em jornalismo – um módulo no qual estou extremamente interessada.

Um pensamento sobre “Primeira semana de aula e todos os medos do mundo

  1. Ow, Keila! Felizes éramos quando as primeiras semanas eram destinadas a nos apresentarmos, falarmos de onde éramos, porque escolhemos jornalismo, nossos filmes e cantores favoritos… e nisso se perdia uma semana inteira! Haha
    Mas… tenho certeza que gostou dessa primeira semana sem enrolação, com tarefas e prazos definidos, toda uma estrutura aula por aula. És virginiana que eu sei!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s